RCN12
Planalto Studio
Publicite

Petr√≥leo passou ao lado da agenda da visita do Presidente da Rep√ļblica

O Presidente da Rep√ļblica esteve neste final de semana no Namibe onde abordou ¬ęin situ¬Ľ os problemas que afectam aquela prov√≠ncia do litoral sul do pa√≠s, mormente os referentes à seca, pesca e à explora√ß√£o da sua malha ferro-portu√°ria.

Por Ilídio Manuel em 22/11/2021 às 06:25:26
Petróleo passou ao lado da agenda da visita do Presidente da República

Petróleo passou ao lado da agenda da visita do Presidente da República

Aos observadores mais atentos n√£o ter√° passado despercebido, o facto de o Governo local, a imprensa e o mesmo o Chefe de Estado n√£o terem feito nenhuma refer√™ncia à iminente explora√ß√£o de petróleo na província do Namibe onde, à semelhan√ßa da sua vizinha de Benguela, foram recentemente descobertas grandes reservas petrolíferas.

Uma abordagem do tema, ainda que de leve, permitiria lan√ßar alguma luz a viabilidade ou n√£o desse projecto, os seus eventuais activos e passivos. Nas audi√™ncias que teve com as distintas figuras das vida económico-político e social, da sociedade social civil, autoridades regionais e tradicionais, o Presidente Jo√£o Louren√ßo poderia ouvir as opini√Ķes dos seus interlocutores sobre a futura explora√ß√£o do crude naquela bacia, quanto mais n√£o fosse na sua qualidade de ambientalista.

Convém salientar que os habitantes do Namibe e de Benguela n√£o se entusiasmaram com a notícia da descoberta do ¬ęouro negro¬Ľ nas plataformas marítimas das respectivas províncias. N√£o houve passeatas, maratonas, bebedeiras colectivas e explos√Ķes de alegria.

Pelo contr√°rio, h√° dúvidas, incertezas, raivas surdas e contesta√ß√Ķes. Tanto os benguelenses como os namibenses temem que o carapau e a sardinha, que j√° lhes chega à mesa em poucas quantidades, venham a tresandar a petróleo ou, mesmo, a desaparecer. Ou ainda, no pior dos cen√°rios, a explora√ß√£o de crude venha a ser um somatório de desastres ambientais e marcar o fim de uma actividade milenar, que constitui o principal sustento de milhares de famílias.

Mesmo sem terem sido consultados sobre as vantagens e desvantagens do crude, os benguelenses e namibenses estar√£o plenamente conscientes de que o petróleo n√£o lhes trar√° melhorias na vida, à semelhan√ßa dos habitantes das províncias de Cabinda, Zaíre ou do Bengo onde se procede à explora√ß√£o do ¬ęouro negro¬Ľ sem resultados palp√°veis. Para eles, o petróleo ajudou apenas a enriquecer uns poucos, ou seja, uma elite depredadora e arrogante, e atirou milh√Ķes para as sarjetas da miséria extrema onde vivem com menos de dois dólares/dia.

Os mais lúcidos estranham essa apressada corrida ao petróleo quando sabem que mais anos, menos anos, o crude tende a dar lugar a outras fontes energéticas, mais limpas e economicamente menos onerosas.

Fonte: Camunda News

Comunicar erro
Restaurante

Coment√°rios

Banner_Animado_Planalto_Studio