RCN12
Planalto Studio
Publicite

F√°brica inaugurada pelo Presidente da Rep√ļblica n√£o paga sal√°rios e est√° paralisada

Os funcionários da fábrica têxtil de Benguela que foi inaugurada pelo presidente João Lourenço a cerca de oito meses, queixam-se da falta de pagamento dos seus salários por parte da empresa gestora já há vários meses.

Por Teresa Cabari em 18/11/2021 às 09:59:13
Fábrica inaugurada pelo presidente da República não paga salários e está paralisada

Fábrica inaugurada pelo presidente da República não paga salários e está paralisada

A gesta√ß√£o da f√°brica foi entregue as m√£os da empresa do Zimbabué, Baobab que vem dando sinais de falta de compet√™ncias para gerir a f√°brica com a divida de sal√°rios dos seguran√ßas de sete meses e os demais funcion√°rios com cerca de 4 meses.

O representante do sindicato dos trabalhadores da f√°brica t√™xtil de Benguela, Waldemar António, afirma que a referida f√°brica est√° paralisada h√° quase um m√™s pela falta de pagamento pontual dos sal√°rios bem como a falta de algod√£o para a produ√ß√£o de tecidos.

"Nós estamos paralisados h√° um m√™s, primeiro porque n√£o pagam, é irregular, e também por causa da situa√ß√£o contratual", disse afirmando que "até agora n√£o temos contracto de trabalho, e em reuni√Ķes com a direc√ß√£o, assim que chegaram, muitos disseram que a Baobab entrou num concurso p√ļblico às escuras". Disse Waldemar António em declara√ß√Ķes ao Voz da América

"Isto assim é complicado para uma empresa nova, que quer crescer", acrescentou.

Por sua vez, o coordenador técnico e chefe da produ√ß√£o, Jo√£o David, preferiu n√£o entrar em detalhes sobre as declara√ß√Ķes prestadas pelos seus colegas, alegando que cabia ao conselho de administra√ß√£o responder tais quest√Ķes por se tratar de um assunto administrativo, mas, no entanto, garantiu que a situa√ß√£o dos sal√°rios em atraso e a falta de algod√£o na f√°brica ser√£o resolvidos nos próximos dias.

"Sou apenas coordenador e supervisor da √°rea técnica. As respostas devem ser dadas pelo Conselho de Administra√ß√£o, s√£o raz√Ķes administrativas que provocam atrasos", disse o respons√°vel. Disse Jo√£o David ao VOA

A empresa zimbabuense Baobab foi a empresa vencedora do concurso p√ļblico internacional para gest√£o da F√°brica com um contrato de 12 anos com a possibilidade de adquirir os direitos totais da f√°brica

Comunicar erro
Restaurante

Coment√°rios

Banner_Animado_Planalto_Studio