RCN12
Planalto Studio
Publicite

Atleta queniana encontrada morta dentro da sua residência

A atleta queniana, Agnes Tirop, detentora do recorde mundial queniana, foi encontrada morta, nessa quarta-feira, no interior de sua casa na cidade de Iten, no oeste do país, com vestígios de ter sido uma ataque a facadas e a policia aponta o seu marido como principal suspeito.

Por Teresa Cabari em 14/10/2021 às 06:56:33
Atleta queniana encontrada morta dentro da sua residência

Atleta queniana encontrada morta dentro da sua residência

Segundo os dados da policia do Quênia, a investigação começou quando o pai da vitima ter denunciado o desaparecimento da vitima nessa última terça-feira, e no entanto, os investigadores foram até a sua casa tendo a encontrado morta por cima da cama.

Em declarações ao BBC, o chefe da policia daquela localização, Tom Makori disse que "Quando a polícia entrou na casa, eles encontraram Tirop na cama e havia uma poça de sangue no chão".

"Eles viram que ela havia sido apunhalada no pescoço, o que nos levou a acreditar que era um ferimento a faca, e acreditamos que foi isso que causou sua morte. Acrescentou o policia

O comandante da policia da cidade de Iten, explicou ainda que o marido da recordista encontra-se desaparecido até o momento, salientando que é o principal suspeito e garante que a investigação está em andamento e que farão de tudo para que achem o culpado reiterando as camaras da casa como uma das principais ajudas que poderão ter.

"Seu marido ainda está foragido e as investigações preliminares nos dizem que seu marido é suspeito porque não pode ser encontrado. A polícia está tentando encontrar seu marido para que ele possa explicar o que aconteceu a Tirop."

Agnes Tirop de 25 anos de idade foi duas vezes medalhista de bronze no Campeonato Mundial de Atletismo, que terminou em quarto lugar na final olímpica de 5.000m há dois meses. No mês passado, a mesma bateu o recorde mundial para uma corrida de rua de apenas 10 km para mulheres na Alemanha.

A atleta teve o primeiro sucesso internacional quando ganhou o bronze mundial júnior de 5.000 m em 2012 e 2014, bem como a prata mundial júnior no cross country em 2013.

Dois anos depois, durante uma rápida ascensão, ela ganhou o campeonato mundial sênior de Cross Country na China, tornando-se a segunda mulher mais jovem, depois de Zola Budd, a reivindicar o ouro.

Nos Jogos Olímpicos de 2020, em Agosto, Tirop terminou fora das vagas de medalhas para os 5.000 metros femininos, atrás do medalhista de bronze da Etiópia Gudaf Tsegay por 0,75 segundos.

Entretanto, o presidente do Quênia, Uhuru Kenyatta, reagiu à morte da maior atleta feminina do país e considerou ser um acto lamentável e perturbador.

"É perturbador, totalmente lamentável e muito triste termos perdido um jovem e promissor atleta que, com apenas 25 anos de idade, trouxe tanta glória ao nosso país", disse o presidente do Quênia.

Uhuru Kenyatta disse ainda que "É ainda mais doloroso que Agnes, uma heroína queniana em todos os sentidos, tenha perdido dolorosamente sua jovem vida por meio de um acto criminoso perpetuado por pessoas egoístas e covardes."

O chefe de estado queniano apelou as instituições policiais e agências de investigação criminal daquele país a fazerem os possíveis para responsabilizar o culpado.

"Exorto nossas agências de aplicação da lei a rastrear e prender os criminosos responsáveis ??pela morte de Agnes para que possam enfrentar a força da lei".

Por sua vez, a Federação do Atletismo do Quênia, em um comunicado de imprensa disse que o referido órgão perdeu uma "grande joia" do desporto daquele país.

"O atletismo do Quênia fica perturbado ao saber sobre a morte prematura da medalhista de bronze mundial dos 10.000 metros, Agnes Tirop".

"Ainda estamos trabalhando para descobrir mais detalhes sobre sua morte. O Quênia perdeu uma joia que era um dos gigantes do atletismo em ascensão mais rápida no cenário internacional, graças às suas atuações atraentes na pista."

Outras figuras representantes do atletismo queniano também reagiram à morte da atleta Agnes Tirop, como é o caso do ex-bicampeão olímpico e presidente do atletismo mundial Sebastian Coe, descrevendo a recordista como "uma das melhores corredoras de distância femininas do mundo nos últimos seis anos".

"O atletismo perdeu uma de suas jovens estrelas mais brilhantes nas circunstâncias mais trágicas. Este é um golpe terrível para toda a comunidade do atletismo, mas especialmente para sua família, seus amigos e o Atletismo do Quênia e envio-lhes todas as nossas mais sinceras condolências. " Acrescentou ele

Já o presidente do Comitê Olímpico Internacional, Thomas Bach, a chamou de "um talento jovem e brilhante", que "deu esperança e inspiração para tantas pessoas", enquanto o patrocinador do atleta, Adidas, disse que o "legado de Tirop viverá para sempre em nossa memória".

Comunicar erro
Restaurante

Comentários

Banner_Animado_Planalto_Studio