RCN12
Planalto Studio
Publicite

TPA e TV ZIMBO concordam em retomar as coberturas televisivas da UNITA

A UNITA n√£o pediu desculpas p√ļblicas tal como exigia a TPA e a TV Zimbo. Entretanto, em reuni√£o ontem com o Minist√©rio das Telecomunica√ß√Ķes, Tecnologias de informa√ß√£o e Comunica√ß√£o Social as duas esta√ß√Ķes de televis√Ķes p√ļblicas disseram que v√£o retomar a cobertura das actividades do maior partido da oposi√ß√£o angolana, depois de terem recebido garantias de protec√ß√£o dos jornalistas nas suas actividades pol√≠ticas.

Por Diniz Kapapelo em 17/09/2021 às 06:23:02

O entendimento entre a Televis√£o Pública de Angola, a TV Zimbo e a UNITA, foi alcan√ßado numa reuni√£o promovida pelo Ministério das Telecomunica√ß√Ķes, Tecnologias de Informa√ß√£o e Comunica√ß√£o Social, após o Presidente da República, Jo√£o Louren√ßo, ter apelado na quarta-feira ao di√°logo.

O Minttics endere√ßou um convite à UNITA para ultrapassar o "ambiente de crispa√ß√£o", sublinhando a necessidade de "criar condi√ß√Ķes anímicas e de toler√Ęncia que restabele√ßam o relacionamento profissional entre as partes e em benefício da efectiva√ß√£o plena do direito constitucional de informar e ser informado".

Em causa est√° o anúncio das duas televis√Ķes de boicote às atividades da UNITA, enquanto a sua dire√ß√£o n√£o apresentasse um pedido de desculpas públicas, por uma alegada agress√£o de jornalistas, durante uma manifesta√ß√£o, no s√°bado passado, do maior partido da oposi√ß√£o, tendo na sequ√™ncia havido uma troca de comunicados entre as partes.

Em declara√ß√Ķes à imprensa no final do encontro, o secret√°rio-geral da UNITA, √Ālvaro Daniel, disse que os comunicados criaram um clima menos bom para o ambiente político, social e emocional que se pretende, numa altura em que o país caminha para os 46 anos de independ√™ncia e 20 anos de paz.

Por sua vez, o secret√°rio de Estado da Comunica√ß√£o Social, Nuno Carnaval, classificou como bastante positivo o encontro, no qual apelou e recomendou aos órg√£os de comunica√ß√£o para que assegurem a concretiza√ß√£o de um direito constitucional, que é de informar e formar os cidad√£os, sem distin√ß√£o dos partidos.

Por sua vez, o director da TV Zimbo, Amílcar Xavier, disse que a decis√£o de bloqueio às actividades da UNITA foi tomada depois de ouvido o conselho de redac√ß√£o e a direc√ß√£o de informa√ß√£o, tendo sido "os jornalistas indignados que disseram que n√£o mais iriam cobrir actos do género, porque estava em causa a sua integridade física".

J√° o administrador para a √Ārea de Conteúdos da TPA, Neto Júnior, destacou que o encontro serviu para "derrubar muros e construir uma ponte de di√°logo" entre a TPA e a UNITA.

Entretanto, depois do pedido de di√°logo feito pelo Presidente da República Jo√£o Louren√ßo, do Sindicato dos Jornalistas Angolanos e do MISA-Angola, cinco dias depois da manifesta√ß√£o de s√°bado, ninguém sabe quais s√£o os jornalistas da TPA e da TV Zimbo que ter√£o sido agredidos durante a manifesta√ß√£o, t√£o pouco, nenhum deles apresentou queixa à Polícia Nacional, como fez saber a corpora√ß√£o na voz do seu porta voz.

Comunicar erro
Restaurante

Coment√°rios

Banner_Animado_Planalto_Studio