RCN12
Planalto Studio
Publicite

Governador do BNA diz ser fundamental apostar na diversificação da economia

O Governador do Banco Nacional de Angola, José de Lima Massano, disse que num contexto particularmente difícil, em que se acresce o facto das reformas económicas incidirem sobre a diversificação da economia e uma participação mais dominante do sector privado, é fundamental desenvolver o sistema financeiro em todas as suas vertentes, incluindo o mercado de capitais, para que se possa contribuir de modo activo e sustentável para o crescimento económico, a geração de emprego.

Por Isaac Sócrates em 10/09/2021 às 06:01:05

José de Lima Massano falava esta terça-feira, durante a abertura do 1ª Workshop sobre as Empresas no Mercado de Valores Mobiliários, que está a ser realizada pela Comissão do Mercado de Capitais, de 7 a 9 de Setembro, no Auditório Saydi Mingas, no Museu da Moeda.

O Governador do banco Nacional de Angola fez saber que os desafios de mobilização de capitais para potenciar o tecido empresarial e estimular o crescimento económico faz parte da agenda de todos os reguladores da sub-região continental, tendo em conta o estágio de desenvolvimento das economias e a intervenção que se vem demandando ao sistema financeiro, particularmente em contexto de crise pandémica de proporções alargadas e que de fora não deixou nenhuma empresa, sector de actividade, nem país.

Na sua visão, Angola tem ainda um longo caminho a percorrer e deve potenciar outras fontes de financiamento ao sector privado, com realce para os instrumentos típicos do mercado de valores mobiliários, facilitando-se a recolha e canalização directa da poupança para o investimento produtivo.

Mesmo com estas dificuldades, José de Lima Massano, destacou alguns avanços registados no sector, como a recente Lei de bases para o sistema financeiro, a publicação da Lei da Insolvência e do Registo das Garantias Mobiliárias, bem como a entrada em funcionamento do Sala de Comércio, Propriedade e Industrial e Intelectual do Tribunal da Comarca de Luanda, que constavam dos entraves à concessão de crédito e à atracção de investimentos para o sector privado.

Durante o evento, em que participaram representantes de 70 empresas de grande, média e pequena dimensão a operar no mercado angolano, peritos e especialistas discutiram e analisaram temas como a Organização e o Funcionamento do Sistema Financeiro; Tipologias de Mercados; Instrumentos e Participantes; Relato Financeiro; Governance e Sustentabilidade Social e Ambiental, esclareceram questões ligadas ao Programa de Privatizações – PROPRIV -; ao Processo de Admissão à Cotação em Bolsa e abordaram os Princípios Fundamentais das Finanças da Empresa, em termos de Políticas de Investimento, Políticas de Financiamento e de Dividendos, bem como as Metodologias de Avaliação de Empresas.

Comunicar erro
Restaurante

Comentários

Banner_Animado_Planalto_Studio