RCN12
Planalto Studio
Publicite

Governo entrega mais oito tractores a cooperativas agrícolas de ex-militares

L√ļcio do Amaral, secret√°rio de Estado da Ac√ß√£o Social, informou j√° foram entregues 50 tractores dos 500 previstos, a entrega de tractores montados no pa√≠s às cooperativas agr√≠colas de ex-militares prioriza aquelas que est√£o legalizadas e organizadas.

Por Administrador em 18/01/2021 às 06:19:02

Lúcio do Amaral reagiu às reclama√ß√Ķes das cooperativas dos ex-militares do município do Quipungo, que n√£o beneficiaram dos oito tractores entregues, no último s√°bado, às cooperativas agrícolas de Caluquembe, Lubango, Humpata e Matala. A cerimónia de entrega decorreu no município do Quipungo e receberam os tractores, entregues pelo secret√°rio de Estado da Ac√ß√£o Social, Lúcio do Amaral, acompanhado pela vice-governadora para o sector Político, Económico e Social, Maria Jo√£o Chipalavela, as cooperativas 17-17, Rainha Ginga, 1¬ļ de Maio e Catepe Ndanda dos municípios acima referidos.

Lúcio do Amaral reconheceu que a entrega dos tractores às quatro cooperativas foi "polémica", mas desdramatizou a situa√ß√£o. "O que se passou, para nós, n√£o é novidade, porque quando se fez a entrega de tractores nas províncias de Benguela, Huambo e Cuanza-Sul, foram também levantadas as mesmas quest√Ķes", referiu.
O secret√°rio de Estado da Ac√ß√£o Social esclareceu que o processo de entrega dos tractores prioriza as cooperativas agrícolas de ex-militares legalizadas e organizadas. "O processo n√£o tem como base os municípios", clarificou.

Apelou a todos os presidentes das cooperativas a trabalharem em colabora√ß√£o com as administra√ß√Ķes municipais e as direc√ß√Ķes provinciais para a sua legaliza√ß√£o, no sentido de beneficiarem dos tractores. "A cooperativa que beneficia de tractor deve ter um presidente, ser reconhecida no Not√°rio, ter conta banc√°ria, para que possa ser financiada. Por isso, é preciso organiza√ß√£o. N√£o podemos entregar os tractores e amanh√£ desaparecerem do nada", defendeu.

Lúcio do Amaral informou que, nesta altura, j√° foram entregues 50 tractores dos 500 previstos. "Só entreg√°mos ainda 50 tractores a nível nacional e restam 450. Aquelas cooperativas que, até ao final do m√™s, apresentarem todos os documentos completos v√£o ser contempladas. N√£o precisamos guardar os tractores. A iniciativa é do Presidente da República para melhorar a qualidade de vida dos ex-militares, através da agricultura, mas, de forma mecanizada", afirmou.

O secret√°rio de Estado da Ac√ß√£o Social acrescentou que foram criadas quatro escolas no país para a forma√ß√£o dos operadores e mec√Ęnicos para a assist√™ncia técnica aos tractores, no sentido de evitar estragos como acontecia no passado.
"Os tractores devem servir os objectivos para os quais foram adquiridos. Os tractores s√£o destinados às cooperativas organizadas", refor√ßou.

A vice-governadora da Huíla para o sector Político, Económico e Social, Maria Jo√£o Chipalavela, exortou as cooperativas Kwata-Kwata, Kundi Paihama, Boi Grande, Katutula, Tchavonja, Chiyawila, 4 de Abril, Huíla Nawa, Tchitekulo, Ngangula, Kwatangó, Kuataomona Unge e Henda, a se legalizarem para receberem os tractores.

"É preciso organizar a economia do país. Para o efeito, precisamos saber que quem recebe o tractor deve pagar imposto e identificar quem est√° a produzir", frisou, enaltecendo o acompanhamento técnico do Fundo de Desenvolvimento Agr√°rio no processo.

É hora de produzir, trazer alimentos para melhorar o nosso estado nutricional e a arrecada√ß√£o de receitas", disse, acrescentando ser importante encarar, também, a agricultura como forma de garantir a Soberania Nacional e a Independ√™ncia.

Fonte: Jornal de Angola

Comunicar erro
Restaurante

Coment√°rios

Banner_Animado_Planalto_Studio