RCN12
Planalto Studio

Jovens voltam à rua em protesto no pr√≥ximo s√°bado, desta vez no U√≠ge

H√° uma manifesta√ß√£o de jovens activistas angolanos marcada para o pr√≥ximo s√°bado no U√≠ge. De acordo com Jorge Kisseque, um dos organizadores do protesto, a "manifesta√ß√£o ser√° pac√≠fica" e vista "exigir a altern√Ęncia de poder em Angola" e elei√ß√Ķes aut√°rquicas.

Por Administrador em 06/01/2021 às 07:14:17

"O atual Governo constitui um obst√°culo para a edifica√ß√£o de uma Angola inclusiva para todos", palavras de um dos organizadores da manifesta√ß√£o. Jovens activistas angolanos e actores da sociedade civil marcham no próximo s√°bado, no Uíge, para protestar contra as "dificuldades socio-económicas" e exigir "altern√Ęncia no poder no país", anunciou esta semana um elemento da organiza√ß√£o.

Segundo o ativista Jorge Kisseque, um dos organizadores da marcha, a manifesta√ß√£o "ser√° pacífica" e visa "exigir a altern√Ęncia no poder em Angola". "Impedindo desta forma a realiza√ß√£o da vontade do povo soberano como é o caso da n√£o-fixa√ß√£o da data das autarquias locais, a n√£o mobiliza√ß√£o de condi√ß√Ķes múltiplas para a cria√ß√£o de um sistema de saúde, educa√ß√£o, saneamento b√°sico, acesso à √°gua, ao emprego, aos transportes públicos e de qualidade", afirmou Jorge Kisseque, em declara√ß√Ķes à Lusa.

A marcha agendada para s√°bado deve decorrer sob o lema "45 anos é muito, MPLA fora", porque, para o ativista, o Movimento Popular de Liberta√ß√£o de Angola (MPLA, no poder desde 1975) "é o respons√°vel pelos problemas b√°sicos que afetam milhares de angolanos h√° 45 anos".

"Como est√° claro, com o MPLA no poder esses problemas b√°sicos n√£o ser√£o resolvidos", argumentou, convidando os cidad√£os das restantes províncias angolanas a se solidarizarem com a iniciativa.

Kisseque, que diz ter sido "baleado com sete tiros nos pés", em Agosto de 2020, um dia antes de uma manifesta√ß√£o por si organizada, considera também que a "altern√Ęncia ao poder é a única op√ß√£o para que os angolanos tenham oportunidades iguais". De acordo com o activista, o governo e o comando provincial da polícia no Uíge "j√° foram informados sobre a realiza√ß√£o da manifesta√ß√£o" e uma reuni√£o entre os organizadores da marcha e a polícia local est√° prevista para manh√£ de sexta-feira.

"Esperamos que polícia nacional assegure a nossa manifesta√ß√£o pacífica e pedimos à comunidade internacional e à Amnistia Internacional para que acompanhem no sentido de n√£o acontecer o que se registou em Agosto de 2020 quando fui baleado", acrescentou.

No final do ano passado, Angola foi palco de protestos contra um crescente descontentamento com a governa√ß√£o do Presidente Jo√£o Louren√ßo, incluindo um a 11 de Novembro, dia em que o país assinalou 45 anos de independ√™ncia.

Fonte: LUSA

Comunicar erro
Restaurante

Coment√°rios

Banner_Animado_Planalto_Studio