RCN12
Planalto Studio
Publicite

SINPROF deu uma semana ao Governo para responder às reivindicações. Professores podem passar para a terceira fase da greve

As negociações com a tutela voltaram a fracassar, depois de proposto um aumento de 7,5% para os subs√≠dios, quando o sindicato pede 22%.

Por CSP em 17/01/2023 às 06:32:38
DR

DR

O Sindicato Nacional dos Professores de Angola (SINPROF) deu um ultimato de uma semana ao Governo para resolver as suas reivindicações depois de negociações nesta segunda-feira, 16 de Janeiro, terem, mais uma vez, fracassado.

Admar Ginguma, secret√°rio-geral do SINPROF, diz que o di√°logo não surgiu efeito após o Executivo apresentar uma proposta de 7,5% para os subs√≠dios, contrariando a cerca de 22% proposta pelo sindicato.

"Depois da aprovação que nos foi apresentada de alteração dos subs√≠dios nós entendemos que não t√≠nhamos condições de continuar a discutir os demais pontos", explica o sindicalista que afirma ainda que o Governo tinha apresentado uma proposta de 7,5%, que "nós achamos insultuosa".

O sindicalista afirma que o Executivo tem até à próxima segunda-feira para repensar as suas propostas e evitar a terceira fase da greve. "Num gesto de boa-fé vamos continuar a esperar até segunda-feira, agora a partir de segunda-feira, mais ninguém vai conseguir parar a f√ļria dos professores", disse o sindicalista, citado pela Voz da América na sua edição para Angola.

O Governo ainda não reagiu.

O SINPROF e os professores exigem a abolição da monodoc√™ncia, distribuição da merenda escolar em todo pa√≠s, actualização dos professores, segundo o n√≠vel académico e tempo de serviço, pagamento de subs√≠dios, pagamento dos cargos de direção e chefia desde a nomeação.

Os docentes querem também o pagamento na totalidade os do 13¬ļ m√™s e subs√≠dio de férias, regularização da situação de professores nas categorias do regime geral, desagravamento do IRT, revisão do estatuto de carreira dos agentes da educação, alteração do estatuto remuneratório e subs√≠dios dos agentes da educação.

O SINPROF quer ainda l√≠deres sindicais nas comissões de avaliação de desempenho, não a obrigatoriedade do uso da bata, mais concursos p√ļblicos, melhoria das infra estruturas escolares (salas de aulas, carteiras, material escolar, bibliotecas, laboratórios, transporte escolar), e o fim da mercantilização do ensino.

Comunicar erro
Restaurante

Coment√°rios

Banner_Animado_Planalto_Studio