RCN12
Planalto Studio
Publicite

Presidente João Lourenço recorre à lógica do futebol, para vencer uma partida basta um golo

O discurso da cerimónia de posse do Presidente da República justiça as suas escolhas porque o Governo anterior foi, "sobretudo", uma equipa "vencedora", que, no limite, precisa de trabalhar mais e comunicar melhor.

Por Administrador em 19/09/2022 às 13:36:37
DR

DR

"Eu entendi reconduzir grande parte daqueles que integraram o anterior Executivo pelo facto de terem pertencido a uma equipa que foi lutadora, mas sobretudo vencedora", começou por dizer o Presidente João Lourenço na cerimónia de posse que, no essencial, reconduz os ministros do anterior governo para o actual, com meia dúzia de excepções.

O anterior Governo de João Lourenço, que sofreu sucessivas remodelação até mais ou menos a meio do mandato – com os ministros da Economia a caírem um após o outro - foi, ainda assim, "uma equipa que trabalhou no meio de inúmeras adversidades, soube vencê-las, ultrapassá-las e fazer grandes realizações em prol do povo angolano, em prol do nosso País", disse o Presidente da República.

Logo, decidiu "premiar" os seus ministros, reconduzindo-os nas funções que já desempenhavam no governo anterior.

Disse ainda, e como um pai que fala para os seus filhos, que "ninguém nasce sabendo tudo", apesar da formação académica de cada um e que é no trabalhando que se aprende. Depois lembrou que "precisamos de ser humildes, em primeiro lugar, e reconhecer que não sabemos tudo. Aprende-se fazendo, cometendo erros. Desde que não sejam graves, consideramos que são normais. E cada dia que passar, estaremos em melhores condições de desempenhar com zelo, com sucesso, as missões que nos foram incumbidas".

Dito de outra forma, o Presidente da República dá espaço aos seus auxiliares para cometerem "erros", desde que "não sejam muito graves", e, em parte, começa por minimizar responsabilidade política.

Ainda assim, não será tudo como dantes, por agora é preciso "trabalhar mais e comunicar melhor", e "logo desde o início", para que no final se possa dizer: ""Missão cumprida, servimos bem o Povo e a Nação angolana"".

No final, em 2027, haverá eleições, João Lourenço não será o cabeça-de-lista do MPLA, vejamos quem, talvez entre os ministros agora nomeados, será o seu sucessor.

Comunicar erro
Restaurante

Comentários

Banner_Animado_Planalto_Studio