RCN12
Planalto Studio
Publicite

Sem datas para solução: Ministério do Ensino Superior diz que aumento salarial é um "processo delicado e complexo"

Após a marcha de mais de 100 estudantes de sábado último, em Luanda, pelo retorno às aulas nas universidades públicas, paralisadas há mais de um mês devido à greve dos professores, o Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, considerou esta terça-feira que o aumento salarial dos professores universitários, sem indicar datas para a sua solução, é um processo delicado e complexo.

Por Administrador em 10/02/2022 às 05:52:39
Sem datas para solução: Ministério do Ensino Superior diz que aumento salarial é um "processo delicado e complexo"

Sem datas para solução: Ministério do Ensino Superior diz que aumento salarial é um "processo delicado e complexo"

O Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação considerou esta terça-feira, 08 de Fevereiro, que o aumento salarial dos professores universitários, em greve por tempo indeterminado, é um "processo delicado e complexo".

Em comunicado distribuído à imprensa, o pelouro liderado pela Ministra Maria do Rosário Bragança Sambo, sublinhou que decorrem acções no Governo sobre esta reivindicação, tendo garantido que o processo exige a consideração de um conjunto de variáveis que garantam a sustentabilidade de qualquer contraproposta apresentada pelo Sindicato dos Professores do Ensino Superior e o Executivo.


De acordo com Ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, as inquietações dos docentes universitários, constantes do seu caderno reivindicativo, têm merecido a atenção das autoridades do país.

Em entrevista ao jornal da Camunda News esta segunda-feira, o Presidente do Sindicato dos Professores do Ensino Superior, Victor Gimbi, disse que falta vontade política do executivo angolano para se ter um ensino de qualidade em Angola.


Entretanto, Francisco Teixeira, líder do Movimento dos Estudantes Angolanos, que protagonizaram uma marcha para exigir o retorno às aulas e o fim da greve dos professores no ensino superior, apelando a intervenção do Presidente da República, João Lourenço, denunciou também a insensibilidade de alguns governantes, tendo referido que os mais prejudicados desse impasse entre o sindicato dos professores e o Ministério de tutela são os estudantes.


Aumento salarial, melhores condições laborais, pagamento da dívida pública e eleições dos corpos directivos das instituições públicas do ensino superior são algumas das reivindicações dos professores em greve desde 3 de Janeiro de 2022.

Comunicar erro
Restaurante

Comentários

Banner_Animado_Planalto_Studio