RCN12
Planalto Studio
Publicite

Chefe da diplomacia da Guiné-Bissau sancionada PAIGC

O partido mais votado nas últimas eleições legislativas, na Guiné-Bissau o PAIGC suspendeu Suzy Barbosa, actual chefe da diplomacia, durante cinco anos. As sanções visaram também o presidente do parlamento e um antigo primeiro-ministro.

Por Diniz Kapapelo em 02/12/2021 às 13:22:34
Chefe da diplomacia da Guiné-Bissau sancionada PAIGC

Chefe da diplomacia da Guiné-Bissau sancionada PAIGC

A decisão de suspender a chefe da diplomacia guineense foi tomada pela instância judicial do partido, e é fundamentada com o facto de Suzy Barbosa ter assumido funções no actual governo sem anuência do PAIGC.

O partido acusa Suzy Barbosa de o ter prejudicado, de desrespeito aos estatutos e ainda de ter apoiado Umaro Sissoco Embaló, quando aquele buscava reconhecimento internacional.

A postura de Barbosa verificou-se numa altura em que estava em causa uma disputa eleitoral, entre Sissoco Embaló e Domingos Simões Pereira, presidente do partido.

Embaló e Simões Pereira estavam a disputar a vitória nas eleições presidenciais, em que ambos concorreram numa segunda volta.

Suzy Barbosa, que é deputada eleita pelo PAIGC, na zona leste da Guiné-Bissau, fica, por conseguinte, suspensa de militância no PAIGC, nos próximos cinco anos.

O partido diz que Barbosa nunca respondeu a uma nota de culpa, que lhe foi formulada, assim como nunca reagiu às notificações da instância judicial do PAIGC.

O referido órgão fez também uma repreensão escrita a Cipriano Cassama, presidente do Parlamento e vice-presidente do PAIGC, e a Artur Silva, antigo Primeiro-ministro e membro do "bureau" político do partido.

Ambos são repreendidos, sobre a necessidade de respeito aos estatutos e disciplina partidária.

Comunicar erro
Restaurante

Comentários

Banner_Animado_Planalto_Studio